Notícias

Banca de DEFESA: LUANA XAVIER RAMOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LUANA XAVIER RAMOS
DATA: 28/03/2024
HORA: 08:00
LOCAL: Sala de Defesa DBI
TÍTULO:

TOLERÂNCIA AO DÉFCIT HÍDRICO EM LINHAGENS DE ARROZ DE TERRAS SUBMETIDAS À BIOFORTIFICAÇÃO AGRONÔMICA


PALAVRAS-CHAVES:

ARROZ, BRIOFORTIFICAÇÃO, SELÊNIO, MELHORAMENTO


PÁGINAS: 43
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Agronomia
SUBÁREA: Fitotecnia
ESPECIALIDADE: Melhoramento Vegetal
RESUMO:

Estima-se que a população mundial alcance em 2050 a marca de 10 bilhões de pessoas (ONU, 2022), sendo uma das grandes preocupações a quantidade de alimentos para suprir tamanha demanda. No entanto, mais do que produzir em quantidade muitos são os desafios para produzir em qualidade de âmbito nutricional. A deficiência de micronutrientes essenciais em humanos, chamada fome oculta, é fator agravante em esfera social, sanitária e ambiental. Atingindo cerca de 30% da população mundial (FAO, 2022).
Diante disso, o interesse pelo estudo em culturas como o arroz é cada vez maior. O cereal é o terceiro mais consumido e segundo mais produzido no mundo, cerca de 512 milhões de toneladas na safra de 2021/22. Produzido em todos os continentes, possui importância e influência na alimentação, renda e saúde de bilhões de pessoas. De acesso fácil e de grande relevância, o arroz tem sido projetado como uma cultura de potencial para no combate a insegurança alimentar.
Dado os desafios mencionados novas estratégias estão sendo avaliadas visando promover benefícios mútuos ao produtor e ao consumidor. Tal como ocorre com o processo denominado de Biofortificação. Uma estratégia que visa incrementar em partes comestíveis da cultura, enquanto ainda está no campo, teores de micronutrientes que atendam às exigências mínimas de consumo diário para humanos e animais. A expectativa é que além de suprir a qualidade nutricional a biofortificação seja eficaz em mecanismos internos da planta promovendo benefícios múltiplos, como incremento na produção e tolerância a estresses abióticos diversos.
Estudos realizados com a cultura do arroz, se mostraram promissores para a biofortificação de selênio na cultura. Embora o Se não seja considerado um elemento essencial para as plantas, sua presença em baixos teores foi suficiente para promover a proteção da cultura submetida ao déficit hídrico, impactando na altura das plantas, na taxa de fotossíntese liquida, na eficiência do uso da água e no sistema antioxidante (o selênio protege).
Desse modo a proposta desta pesquisa é avaliar a biofortificação de selênio como estratégia no combate aos danos ocasionados pelo déficit hídrico no arroz de terras altas. Dada sensibilidade que a cultura possui quando submetida a estresse hídrico durante seu manejo no campo, afetando seu desenvolvimento e principalmente comprometendo a produção.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ADRIANO PEREIRA DE CASTRO - EMBRAPA (Membro)
Presidente - FLAVIA BARBOSA SILVA BOTELHO (Membro)
Externo à Instituição - JANINE MAGALHÃES GUEDES - EPAMIG (Suplente)
Interno - TIAGO DE SOUZA MARCAL (Membro)
Interno - VINICIUS QUINTAO CARNEIRO (Suplente)
Notícia cadastrada em: 15/03/2024 15:08
SIGAA | DGTI - Diretoria de Gestão de Tecnologia da Informação - Contatos (abre nova janela): https://ufla.br/contato | © UFLA | appserver2.srv2inst1 29/05/2024 23:43