Notícias

Banca de DEFESA: GLAUCIA RAMALHO ALCÂNTARA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GLAUCIA RAMALHO ALCÂNTARA
DATA: 28/07/2022
HORA: 15:00
LOCAL: remoto
TÍTULO:

Síntese de nanofibras de carbono pela técnica da fiação por sopro em solução a partir de poli(álcool vinílico) e lignina proveniente do substrato pós-cultivo de cogumelos comestíveis


PALAVRAS-CHAVES:

Fiação por sopro em solução, Lignina, Nanofibras de carbono, Poli(àlcool vinílico), Substrato pós-cultivo de cogumelos


PÁGINAS: 60
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Física
RESUMO:

A lignina apresenta características que sugerem um alto potencial para substituição da poliacrilonitrila (PAN) em sínteses de nanofibras de carbono (NFCs), é um dos recursos naturais mais abundantes da terra, tem origem renovável e possui alto teor de carbono. Neste trabalho estudou-se uma rota de síntese de NFCs fiadas pelo método de fiação por sopro em solução (SBS - Solution Blow Spinning) e formuladas a partir de uma blenda polimérica de lignina extraída do substrato pós-cultivo de cogumelos comestíveis (SMS - Spent Mushroom Substrate) e PVA. A lignina foi extraída pelo método alcalino e caracterizada por espectroscopia no infravermelho por transformada de Fourier (FTIR), termogravimetria (TGA), calorimetria exploratória diferencial (DSC) e espectroscopia na região do ultravioleta-visível (UV-Vis). Todas as análises realizadas na lignina mostraram eventos característicos, confirmando que os blocos de cogumelos, mesmo após a biotransformação pelos fungos, resultam em SMS rico em lignina. Para a fiação no SBS, foram formuladas duas soluções poliméricas contendo 30% (solução A) e 23% (solução B) de lignina. As nanofibras de lignina/PVA sintetizadas foram caracterizadas por microscopia eletrônica de varredura (MEV), FTIR, TGA e DSC. Os diâmetros médios obtidos para as nanofibras de lignina/PVA foram de 370 nm para a solução A e 463 nm para a solução B. Isso indica que o teor de lignina influencia diretamente no diâmetro das nanofibras. A análise FTIR mostrou que a lignina e o PVA são capazes de formar ligações intermoleculares de hidrogênio entre si, o que permitiu a formação das nanofibras durante a fiação. As NFCs foram caracterizadas por MEV, espectroscopia Raman e análise elementar. Os diâmetros médios obtidos para as NFCs foram de 286 nm e 322 nm. Observa-se que houve redução no diâmetro das nanofibras após a carbonização, isso se deve à volatização de componentes não carbônicos das amostras, tais como nitrogênio, hidrogênio, oxigênio, dentre outros. Portanto, a lignina presente no SMS do cultivo de cogumelos comestíveis pode ser extraída e em associação com PVA reaproveitada para síntese de NFCs. Além disso, o SBS pode ser o método precursor de fiação da solução polimérica lignina/PVA.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - ALFREDO RODRIGUES DE SENA NETO - DEG/EENG (Membro)
Interno - ANA CAROLINA CORTEZ LEMOS - UFLA (Suplente)
Externo à Instituição - ANGSULA GHOSH - UFAM (Membro)
Externo à Instituição - FABIO LUCIO ALVES - NJU (Suplente)
Presidente - TATIANA RAMOS CARDOSO - UFLA (Membro)
Notícia cadastrada em: 25/07/2022 10:50
SIGAA | DGTI - Diretoria de Gestão de Tecnologia da Informação - Contatos (abre nova janela): https://ufla.br/contato | © UFLA | appserver1.srv1inst1 28/11/2022 01:37