Notícias

Banca de DEFESA: MATEUS HENRIQUE BARBOSA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MATEUS HENRIQUE BARBOSA
DATA: 01/04/2021
HORA: 09:00
LOCAL: Sala Virtual do Google Meet
TÍTULO:

AVALIAÇÃO DA REMOÇÃO DE POLUENTES, COLMATAÇÃO E CINÉTICA DE DEGRADAÇÃO EM SISTEMAS ALAGADOS
CONSTRUÍDOS DE ESCOAMENTO HORIZONTAL SUBSUPERFICIAL COM DIFENTENTES CONFIGURAÇÕES INTERNAS


PALAVRAS-CHAVES:

......................................................

Palavras-chave: Placas defletoras; wetlands construídos, remoção de poluentes.


PÁGINAS: 100
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Sanitária
SUBÁREA: Saneamento Ambiental
RESUMO:

.....................................................

Muitos trabalhos têm se empenhado no desenvolvimento de sistemas de tratamento, com
baixo custo de implementação e operação, focados no tratamento de efluentes. Os
sistemas alagados construídos de escoamento horizontal subsuperficial (SACs-EHSS)
são reatores projetados para tratar os mais diversos efluentes, espelhado nos sistemas
alagados naturais, desempenhando os mesmos processos, químicos, físicos e biológicos,
no tratamento de efluentes. Esses sistemas têm demonstrado significativo potencial
tratamento, além de baixo custo de implementação e operação, visto que não há nenhum
requisito externo de energia. Como forma de potencializar o tratamento nesses sistemas,
muitos trabalhos utilizam chicanas, ou placas defletoras, para melhorar o tratamento, sem
que ocorresse a necessidade de maiores investimentos. Nesse sentido o presente trabalho
objetivou fazer um levantamento do estado da arte e avaliar a remoção de poluentes,
colmatação e cinética de degradação, em sistemas alagados construídos de escoamento
horizontal subsuperficial, com diferentes configurações internas, plantados com
Penninsetum Setaceum, no tratamento de esgoto universitário. Os SACs foram
construídos em fibra de vidro, se diferenciando pela presença de chicanas laterais
(horizontais) (SAC-B), verticais (SAC-C) ou ausência de divisórias internas, do tipo
convencional (SAC-A), com TDH de 1,36, 1,32, 1,31dias, respectivamente, com área
superficial de 1 m2

, preenchidos com brita zero. Os sistemas apresentaram significativa
eficiências de remoção, entretanto não apresentaram diferença estatística entre si, com
valores superiores a 47% para a DQO, 22% para os ST, 39% para os STV, 10% para os
STF, 9,7% para NTK. As baixas eficiências, bem como a semelhança nas remoções foram
provocadas pela maturação dos sistemas, evidenciado pela formação de lâmina
superficial, formada devido a saturação inicial do leito, diminuindo a condutividade
hidráulica, indicando uma possível colmatação, além de facilitar a formação de caminhos
preferenciais, uniformizando o tratamento entre os sistemas. Observou-se maior acúmulo
de ST, STV e STF na porção inicial dos SACs A e B, nos primeiros 0,45m, e na camada
superior, 0,15m abaixo do material suporte, em relação a camada de fundo (0,50m). O

modelo cinético proposto por Chan e Chu (2003) demostrou o melhor ajuste para o SAC-
A (convencional) e o modelo proposto por Brasil et al. (2007) resultou nos melhores

ajustes para os SACs com a presença de chicanas (SAC-B e C). Os SACs A e B
demostraram comportamento semelhante, com escoamento tendendo a mistura completa
e uso integral do volume do reator, indicando estar menos colmatado que o SAC-C, que
apresentou tendência a escoamento pistonado, com presença de curtos circuitos e zonas
mortas. O SAC-C apresentou as maiores taxas de remoção de massa, maior produtividade
de matéria seca, assim como maior extração de nitrogênio e fósforo na parte vegetal,
seguido do SAC-B e por fim o SAC-A, com valores de extração de fósforo de 2 g m-2
no
corte II para SAC-B e nos cortes I, II e IV para o SAC-C. Houve forte correlação positiva
entre a CE e as variáveis NTK e PT, afluente e efluente ao tratamento, e correlação
positiva muito forte entre a CE e o fosfato, para os três sistemas avaliados, demostrando
alto potencial na determinação das concentrações de nutrientes por meio da CE no esgoto
universitário e após o tratamento em SAC-EHSS.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - FATIMA RESENDE LUIZ FIA (Membro)
Interno - RONALDO FIA (Membro)
Interno - PAULA PEIXOTO ASSEMANY (Suplente)
Interno - MATEUS PIMENTEL DE MATOS (Membro)
Externo à Instituição - FERNANDO NERIS RODRIGUES - UEMG (Suplente)
Externo à Instituição - ALISSON CARRARO BORGES - UFV (Membro)
Notícia cadastrada em: 22/03/2021 11:29
SIGAA | DGTI - Diretoria de Gestão de Tecnologia da Informação - Contatos (abre nova janela): https://ufla.br/contato | © UFLA | appserver2.srv2inst1 26/06/2022 20:52