Notícias

Banca de DEFESA: SAMANTHA NAOMI MONFREDINI ALENCAR

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: SAMANTHA NAOMI MONFREDINI ALENCAR
DATA: 30/11/2021
HORA: 09:00
LOCAL: Sala Virtual do Google Meet
TÍTULO:

 

Avaliação do crescimento microalgal sob diferentes condições de
cultivo utilizando a vinhaça como matéria-prima: análise de
crescimento e potencial biorremediador a partir da recuperação de nutrientes.

.


PALAVRAS-CHAVES:

Biomassa microalgal. Tratamento de efluente agroindustrial.
Recuperação de nutrientes.


PÁGINAS: 94
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Sanitária
SUBÁREA: Saneamento Ambiental
RESUMO:

Com o aumento da preocupação em relação aos problemas ambientais,
principalmente em relação a emissão de gás carbono, uma das alternativas para
minimização dos impactos ambientais negativos pode ser a substituição dos combustíveis
fósseis por biocombustíveis. Com isso, o setor sucroalcooleiro vem se destacando devido
a possibilidade de produção do etanol a partir da cana-de-açúcar, e o Brasil vem se
destacando por ser um dos principais produtores de etanol no mundo. Entretanto, no
processo de transformação da cana-de-açúcar em etanol são gerados cerca de 15 L de
vinhaça a cada 1 L de álcool produzido. A característica da vinhaça pode variar de acordo
com a espécie da cana-de-açúcar e pelo processo de maturação, mas no geral apresenta
alta concentração de nutrientes como nitrogênio e potássio, razão pela qual são
frequentemente utilizadas para fertirrigação das lavouras de cana-de-açúcar. No entanto,
a aplicação frequente no solo ou o descarte incorreto desse resíduo pode ser prejudicial
ao meio ambiente, pois características como alta concentração de matéria orgânica, baixo
pH, alto índice de DQO e DBO, elevada corrosividade, além da presença de nutrientes
como nitrogênio, fósforo, potássio e compostos fenóicos podem causar contaminações
ambientais. Por isso, diversos estudos buscam soluções para tratamento da vinhaça, e uma
das alternativas promissoras pode ser o cultivo de microalgas, as quais apresentam além
da capacidade de biorremediação, a possibilidade do uso da biomassa microalgal para
produção de biocombustível. Assim, este estudo avaliou o cultivo de microalgas sob
diferentes condições de crescimento utilizando-se a vinhaça como matéria prima, com
intuito de identificar as melhores condições de cultura. Para tal, realizou se os cultivos e
diluições tanto em água destilada como em meio BG11. Dessa forma, objetivou-se
verificar a influência da vinhaça no crescimento das microalgas em meio com
enriquecimento de nutrientes (BG11) e outro meio sem enriquecimento (água destilada),
além de determinar o potencial de biorremediação da vinhaça a partir do cultivo de
microalgas. Considerando que as microalgas atuam como um biorremediador, a sua
aplicação pode ser viável como um processo terciário de tratamento de efluentes, quando
utilizados principalmente com diluição e correção do pH, fatores que podem auxiliar na
melhora da produtividade. Os resultados mostram que o cultivo com 100% vinhaça e 50%
vinhaça (BG11 e água destilada) não apresentaram taxa de crescimento celular. O cultivo
com 10% vinhaça em BG11 apresentou melhor crescimento (μ máx = 0,48 d-1)
comparado ao cultivo com água destilada (μ máx = 0,23 d-1), verificando também maior
concentração de chl a (1,49 mg.L-1). Nos cultivos com 10% vinhaça (BG11 e água
destilada) e controle apresentaram 100% de eficiência de remoção de N-NH4+ e P.
Conclui-se que, os cultivos com adição de vinhaça em baixa concentração pode ser viável
para obter melhor crescimento microalgal, principalmente quando o meio é enriquecido.
Além disso, as microalgas se mostraram promissores na biorremediação da vinhaça,
podendo ser uma alternativa de tratamento do efluente.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - WHASLEY FERREIRA DUARTE - DBI/ICN (Suplente)
Interno - RONALDO FIA (Membro)
Interno - MATEUS PIMENTEL DE MATOS (Suplente)
Interno - LUCIENE ALVES BATISTA SINISCALCHI (Membro)
Externo à Instituição - EDUARDO DE AGUIAR DO COUTO - UNIFEI - UNI (Membro)
Presidente - ADRIANO VIANA ENSINAS (Membro)
Notícia cadastrada em: 12/11/2021 12:03
SIGAA | DGTI - Diretoria de Gestão de Tecnologia da Informação - Contatos (abre nova janela): https://ufla.br/contato | © UFLA | appserver1.srv1inst1 23/01/2022 00:42