Notícias

Banca de DEFESA: JAQUELINE NATIELE PEREIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JAQUELINE NATIELE PEREIRA
DATA: 14/02/2022
HORA: 10:00
LOCAL: meet.google.com/tgr-hzor-jka
TÍTULO:

Deposição atmosférica total em uma região agrícola do Sul de Minas Gerais: avaliação da composição química e contribuição de fontes.


PALAVRAS-CHAVES:

Composição Iônica, Identificação de Fontes, Análise de Componentes Principais, Análise de Fatores, PMF.


PÁGINAS: 99
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Sanitária
SUBÁREA: Saneamento Ambiental
ESPECIALIDADE: Qualidade do Ar, das Águas e do Solo
RESUMO:

A deposição atmosférica é um mecanismo chave para a ciclagem de compostos químicos entre os ecossistemas ambientais e fornece informações úteis que alimentam modelos receptores para identificar a distribuição de fontes de poluição. Nesse estudo foi investigada a composição química e a contribuição de fontes da deposição atmosférica total, em Lavras – MG. Uma série de 59 amostras foram coletadas entre março de 2018 e outubro de 2019, nas quais foram realizadas medidas de pH e quantificação das espécies por cromatografia iônica. Para atender aos critérios de qualidade sugeridos pela Organização Mundial de Meteorologia calculou-se o balanço iônico e 52 amostras foram validadas. O valor médio de pH foi 5,99 (5,50 – 8,46) e a maioria das amostras de deposição (97%) foram alcalinas (pH> 5,60). O perfil dos íons, em média ponderada pelo volume, foi descrito da seguinte forma: Ca2+ (46.5)>Cl- (18.7)>Na+ (16.3)>NH4+ (15.3)>Mg2+ (12.6)>NO3- (10.1)>K+ (5.42)>SO42- (3.90) µmolL-1. Cálcio foi a espécie predominante, correspondendo a 36% da soma total de íons. O modelo EPA PMF 5.0 foi adotado para quantificar as fontes de emissão das espécies iônicas medidas e uma solução ótima de 3 fatores com um valor Q mínimo de 651 foi encontrada. O fator 1, denominado processos atmosféricos de neutralização, respondeu por 53% da soma dos íons medidos e foi dominado por Ca2+ (81%), NO3- (79%) e SO42- (68%). O fator 2, nomeado como processos crustais e incêndios, explicou 34% dos íons medidos e foi dominado por Na+ (83%), Cl- (82%) e K+ (65%). O fator 3, classificado como produção e aplicação de fertilizantes explicou 13% dos compostos iônicos e foi dominado por NH4+ (87%) e Mg2+ (68%). Esses resultados fornecem informações críticas para a formulação de políticas que visem à redução das emissões de poluentes inorgânicos na região de Lavras-MG.



MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - SIMONE ANDRÉA POZZA - UNICAMP (Membro)
Interno - SILVIA DE NAZARE MONTEIRO YANAGI (Suplente)
Externo à Instituição - SAMARA CARBONE - UFU (Suplente)
Externo à Instituição - PAMELA ALEJANDRA DOMINUTTI - USP (Membro)
Presidente - MARCELO VIEIRA DA SILVA FILHO (Membro)
Notícia cadastrada em: 01/02/2022 14:09
SIGAA | DGTI - Diretoria de Gestão de Tecnologia da Informação - Contatos (abre nova janela): https://ufla.br/contato | © UFLA | appserver2.srv2inst1 27/06/2022 06:22