Notícias

Defesa de dissertação do Mestrado Profissional do PPGECEM/UFLA - Débora Resende Pereira Barbosa - em 25/02/2022

Mestranda:

Débora Resende Pereira Barbosa

 

Título:

AS PERCEPÇÕES DE PROFESSORAS E PROFESSORES QUE ENSINAM MATEMÁTICA SOBRE O PROCESSO DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM COM ESTUDANTES COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL 

 

Banca Examinadora:

Profa. Dra. Rosana Maria Mendes – UFLA

Profa. Dra. Silvia Maria Medeiros Caporale – UFLA

Prof. Dra. Helena Libardi – UFLA

Profa. Dra. Vanessa de Paula Cintra – UFTM

 

Data: 25/02/2022

Horário: 9h

 

Local:

https://meet.google.com/zen-fowt-vti?hs=122&authuser=0

 

RESUMO: A presente pesquisa, de cunho qualitativo, está inserida no campo da Educação Matemática, mais especificamente na área das práticas pedagógicas e formação docente na perspectiva da Educação Inclusiva. Temos por objetivos: 1) conhecer a trajetória de formação de professoras e professores que ensinam Matemática na perspectiva inclusiva e 2) analisar as práticas docentes realizadas por professoras e professores que ensinam Matemática ao trabalhar com estudantes com Deficiência Intelectual. Buscamos responder à questão de investigação: que percepções professoras e professores de Matemática têm sobre o processo de ensino e de aprendizagem de Matemática com estudantes com Deficiência Intelectual? Para alcançar os objetivos traçados e responder a questão de investigação foi desenvolvido um curso intitulado “Roda de Conversa Virtual: A Matemática e a Deficiência Intelectual - compartilhando experiências” com três professoras e um professor de Matemática do sul de Minas Gerais que trabalhavam ou trabalharam com estudantes com Deficiência Intelectual em uma perspectiva Inclusiva. O curso teve como metodologia a perspectiva de grupo de discussão (WELLER, 2006) com duração de trinta horas, distribuídas em quatro encontros síncronos desenvolvidos no Google Meet e três assíncronos utilizando o Campus Virtual de uma Universidade Pública Federal. Os instrumentos utilizados para a constituição dos dados foram os gravadores de tela e voz, diário de bordo e os registros reflexivos. Como sustentação teórica apoiamo-nos nos saberes docentes e o ensino e aprendizagem na perspectiva histórico cultural de Vygotsky (2000, 2003, 2007) que serviram de subsídios para a análise. Optamos pela utilização de análise narrativa baseando-nos em Bertaux (2010) e Bolivar, Domingo e Fernandez (2001). O estudo possibilitou que observássemos as várias estratégias utilizadas por docentes que ensinam Matemática para a inclusão escolar e a aprendizagem significativa de conceitos matemáticos. Nosso estudo apontou que a utilização de materiais manipulativos como material dourado, palitos de picolé, jogos e o uso de TICs, quando disponíveis, podem ser importantes ferramentas para o ensino e aprendizagem de Matemática para estudantes com Deficiência Intelectual.

 

Palavras-Chave: Perspectiva vigotskiana. Educação Matemática. Narrativa Oral. Grupo de Discussão.

Notícia cadastrada em: 26/01/2022 18:39
SIGAA | DGTI - Diretoria de Gestão de Tecnologia da Informação - Contatos (abre nova janela): https://ufla.br/contato | © UFLA | appserver2.srv2inst1 22/04/2024 09:47