Notícias

Banca de DEFESA: LÍVIA ALVES LUZ

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LÍVIA ALVES LUZ
DATA: 18/02/2022
HORA: 14:00
LOCAL: remoto
TÍTULO:

Crítica à medicalização da vida escolar a partir da análise dos determinantes diagnósticos de
TDAH em laudos de estudantes da educação básica.





PALAVRAS-CHAVES:

Déficit de Atenção. Medicalização. Psicologia Histórico Cultural. Diagnóstico.




PÁGINAS: 85
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Multidisciplinar
RESUMO:

Opresente trabalho visa contribuir para a discussão sobre as implicações do alarmante aumento na incidência
de diagnósticos de transtornos de aprendizagem no Brasil, em especial do transtorno de Déficit de Atenção e
Hiperatividade – TDAH.
Conforme o site oficial do transtorno, o TDAH é o transtorno mais comum em crianças
e adolescentes encaminhados para serviços especializados. Este estudo está fundamentado no arcabouço
teórico dos pressupostos da psicologia histórico-cultural, os quais superam as concepções adaptativas e
patologizantes que sustentam a medicalização dos processos educativos. Busca-se com esta pesquisa
responder a seguinte pergunta: Que fatores têm sido os determinantes para o diagnóstico de TDAH em
escolares? Como objetivos específicos têm-se: a) investigar os critérios que levaram ao diagnóstico do TDAH; b)
analisar a concepção de desenvolvimento humano que subsidia os laudos analisados; c) analisar em que
medida o diagnóstico e o tratamento indicado envolvem as relações interpessoais concretas da vida da criança
para além da medicação. O estudo tem cunho qualitativo e documental e se propõe a analisar laudos clínicos
contendo o diagnóstico de TDAH em estudantes da educação básica, com o objetivo de identificar os
determinantes diagnósticos de TDAH. Foram selecionados dez laudos arquivados pelas Secretarias
participantes. A análise dos documentos fundamenta-se na metodologia da análise de conteúdo. A análise dos
dados explicita os limites evidentes de se atribuir as dificuldades de aprendizagem ao tratamento médico, dado
que estes profissionais não têm qualquer domínio sobre as especificidades da área da educação. Importante
notar também que todos os laudos coletados para a pesquisa reafirmam os pressupostos teóricos adotados no
trabalho em tela, de que os diagnósticos de TDAH têm sido dados de forma superficial e indiscriminada,
rotulando os seres humanos e os coisificando. Os poucos encaminhamentos descritos pelos laudos apontam a
escola como a principal responsável pelo encaminhamento das crianças para médicos neurologistas, psiquiatras
e psicólogos darem sua avaliação sobre o comportamento “inadequado” da criança em sala de aula. Nos laudos
analisados, a maioria dos profissionais propõe orientações superficiais para a escola, sem levar em
consideração a especificidade do trabalho docente ou a reprodução dos pressupostos excludentes e
marginalizantes da sociedade capitalista nas relações interpessoais e práticas concretas que permeiam o
cotidiano das instituições de ensino. Portanto, vale destacar que os estudos da psicologia marxista são
fundamentais para o desvelamento da lógica exploratória e opressora do capital, desnaturalizando os estigmas

 


epadronizações que contribuem para a manutenção do status quo e sinalizando a necessidade de construirmos
uma nova sociabilidade pautada em relações sociais justas, igualitárias e humanizadoras.




MEMBROS DA BANCA:
Presidente - MARINA BATTISTETTI FESTOZO (Membro)
Externo à Instituição - MARCELO UBIALI FERRACIOLI - UEPG (Membro)
Interno - JOSE ANTONIO ARAUJO ANDRADE (Membro)
Interno - ANTONIO FERNANDES NASCIMENTO JUNIOR (Suplente)
Externo à Instituição - ANGELO ANTONIO ABRANTES - UNESP (Suplente)
Notícia cadastrada em: 11/02/2022 14:44
SIGAA | DGTI - Diretoria de Gestão de Tecnologia da Informação - Contatos (abre nova janela): https://ufla.br/contato | © UFLA | appserver1.srv1inst1 23/02/2024 20:04