Notícias

Banca de DEFESA: ERIKA MARA NOGUEIRA DE SANTANA TICLE

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ERIKA MARA NOGUEIRA DE SANTANA TICLE
DATA: 19/12/2022
HORA: 14:00
LOCAL: remoto
TÍTULO:

PERCEPÇÃO DE DOCENTES DO CURSO DE PEDAGOGIA SOBRE O ENSINO REMOTO EMERGENCIAL: DESMONTE E PRECARIZAÇÃO DO TRABALHO EM TEMPOS DE PANDEMIA 


PALAVRAS-CHAVES:

Ensino Remoto Emergencial. Ensino Superior. Neoliberalismo.


PÁGINAS: 171
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Multidisciplinar
RESUMO:

A presente dissertação é resultado do estudo científico sobre o modelo do ensino remoto emergencial, colocado em prática em todas as Universidades Federais do Brasil, a partir da implantação do distanciamento social decorrente das estratégias de enfrentamento da Pandemia de Covid-19. Dado ao recorte que a análise científica de assuntos exige para que possam ser estudados de modo profícuo e dentro do tempo em que se limita a etapa da pós-gaduação strito sensu, traçou-se como objetivo conhecer a percepção de docentes do curso superior de Pedagogia, vinculados a uma instituição de ensino superior pública brasileira, especialmente quanto aos desafios enfrentados no modelo de ensino remoto emergencial e refletindo criticamente quanto aos efeitos da experiência para a educação superior pública brasileira. Levou-se em consideração preceitos em defesa da Universidade pública, democrática e de qualidade, frente à realidade de políticas neoliberais que se fazem intensas também no contexto da pandemia de Covid-19. Para tanto, considerando uma abordagem qualitativa, a metodologia empregada combinou duas etapas - revisão de literatura e entrevistas com docentes que atuaram no curso de Pedagogia em uma Universidade pública brasileira, no período de vigência do ensino remoto emergencial. A revisão de literatura teve como objetivo levantar produções científicas que trouxeram como tema a realidade enfrentada por docentes do ensino superior no modelo de ensino remoto emergencial. Além de guiar a pesquisa pelos estudos já concluídos no tema, possibilitou uma visão geral do tratamento científico dado ao assunto. A entrevista, por sua vez, abriu a possibilidade de complementar dados sobre os desafios enfrentados pelos docentes da Pedagogia no ensino superior público brasileiro, proporcionando um relato com maior exatidão de suas percepções. O cuidado na análise do material obtido, através da metodologia da análise de conteúdo de Bardin (2016), apoiou a construção científica dos resultados alcançados. O resultado final foi de que o ensino remoto emergencial desagradou a todas e todos os docentes entrevistados, não foi adequado para oferta de uma educação de qualidade e para alcance de aprendizagem de discentes. As consequências de sua adoção e prática são perceptíveis ao retorno do ensino presencial, com perda na capacidade de leitura, concentração e foco de discentes. As e os estudantes também apresentam forte dispersão, com necessidade de consultas constantes às telas dos celulares para checar mensagens e redes sociais. O contexto atual, no qual as atividades escolares presenciais vêm sendo substituídas por atividades remotas, o que se comprova pela hibridização aprovada em recente decisão do Conselho Nacional de Educação, a presente pesquisa mostra-se relevante. Tendo como fundamento teórico o Materialismo Histórico-Dialético e estudos críticos que avaliam os efeitos da ideologia neoliberal na contemporaneidade, e conscientes do cenário de desmonte da educação nacional e precarização do trabalho docente, a conclusão é de que os meios para alcance de uma educação de qualidade são importantes, mas seu alcance depende de mudanças que perpassam por discussões políticas amplas, capazes de redirecionar a naturalização da racionalidade neoliberal em nossa sociedade. Tais reflexões fundamentam a necessidade de mais estudos que levantem a realidade neoliberal que tem ameaçado a existência de Universidades públicas, gratuitas e de qualidade para todas e todos, como forma de resistência e combate à privatização da educação superior púbica brasileira.  


MEMBROS DA BANCA:
Interno - MARINA BATTISTETTI FESTOZO (Membro)
Externo à Instituição - LUCIANA APARECIDA GONÇALVES OLIVEIRA - UNILAVRAS (Membro)
Presidente - LARISSA FIGUEIREDO SALMEN SEIXLACK BULHOES (Membro)
Interno - ANTONIO FERNANDES NASCIMENTO JUNIOR (Suplente)
Externo ao Programa - ADRIANO RODRIGUES - DEX/ICET (Suplente)
Notícia cadastrada em: 12/12/2022 13:07
SIGAA | DGTI - Diretoria de Gestão de Tecnologia da Informação - Contatos (abre nova janela): https://ufla.br/contato | © UFLA | appserver2.srv2inst1 18/07/2024 08:49