Notícias

Banca de DEFESA: VITÓRIA CÁSSIA GABRIELA DE OLIVEIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: VITÓRIA CÁSSIA GABRIELA DE OLIVEIRA
DATA: 08/12/2023
HORA: 15:00
LOCAL: Anfiteatro do Departamento de Física DFI
TÍTULO:

DIÁLOGOS ENTRE A PEDAGOGIA DA TERRA  E A ASTROBIOLOGIA: 

Uma proposta e contribuição para a formação continuada de professores de ciências


PALAVRAS-CHAVES:

ASTROBIOLOGIA

PEDAGOGIA DA TERRA

EDUCAÇÃO AMBIENTAL

COMPLEXIDADE


PÁGINAS: 100
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Astronomia
SUBÁREA: Astrofísica Estelar
RESUMO:

A sociedade contemporânea enfrenta uma crise ambiental e humanitária sem precedentes, como resultado das ações antrópicas e da maneira como a modernidade, alicerçada pelo cartesianismo e o capitalismo como modo de produtor de uma relação utilitarista com a natureza, moldaram e dicotomizaram a relação homem natureza. Isso se expressa em desafios atuais para a manutenção da vida na Terra, que refletem a complexidade e a profunda interrelação entre o planeta, sua biodiversidade e o Cosmos. Nesse sentido, muitos estudiosos como Edgar Morin têm defendido que paradigmas precisam ser rompidos, do Cartesiano à Complexidade, o que modificaria de forma profunda a maneira como a humanidade compreende e interagem com a natureza. Para o sociólogo, uma mudança tão profunda perpassa necessariamente os processos educativos, sendo iniciada com a formação de professores. Entretanto, para alcançar essa demanda e assumir a Complexidade como orientadora dos processos educativos, precisam ser superados os modelos de educação bancária no país, e investir na formação de sujeitos críticos de suas realidades, conscientes de seus papéis ecológicos e capazes de construir uma nova ética humana no/com o planeta. Diante deste cenário, e em resposta a ele, este estudo propõe a articulação dos saberes da Astrobiologia, que se direciona à compreensão da vida na Terra e fora dela, cujo estudos têm demonstrado suas potencialidades como tema gerador dos processos de ensino de ciências, à um modelo educativo biocêntrico, construído a partir dos princípios da Complexidade (valorizando a inter/transdisciplinaridade), da sustentabilidade e da indissociabilidade entre humanidade, planeta e Cosmos: a Pedagogia da Terra. É intento do estudo, investigar as contribuições dos diálogos entre esses saberes na formação continuada de professores que atuam no ensino de ciências, dando ênfase para as potencialidades das associações na geração de valores humanos ambientalmente sustentáveis. Nesse sentido, buscando compreender a busca entre as aproximações e distanciamentos dos dois campos, e suas possíveis contribuições para o ensino de ciências na formação continuada de professores. Amparados no que Tozzoni-Reis (2009) propõe como fundamentos teóricos-metodológicos para pesquisas em educação ambiental utilizamos os questionários como método de constituição de corpus de pesquisa e, posteriormente da Análise de conteúdo, de Bardin, Moraes e Minayo para análise e discussão dos dados produzidos. Houve neste evento a participação de 80 pessoas, entre professores em formação continuada e estudantes de graduação das mais diversas áreas de pesquisa, entretanto, ao final, apenas 33 professores se voluntariaram a participar da pesquisa por meio dos questionários. A análise foi feita em tópicos e as categorias propostas a posteriori.  Os resultados demonstraram que o diálogo entre a Astrobiologia e a Ecopedagogia na formação de professores e no ensino de ciências é bastante promissor. Notamos ao longo desta trajetória de análise de dados como a Astrobiologia “toca” em questões dos mais diversos tipos de saberes humanos, a ciência, a filosofia e até mesmo as tradições. Logo, assumir a Astrobiologia como orientadora de uma aproximação com uma pedagogia que resgata elementos decoloniais, como a Pedagogia da Terra, pode ser um interessante caminho para desmantelar o enraizamento de uma cultura utilitarista, de distanciamento entre humano e natureza/cosmos, expressões hegemônicas e de dominação na escola e a promoção de práticas educativas inter/transdisciplinares.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - PAULO RICARDO DA SILVA - DQI/ICN (Membro)
Externo à Instituição - LAYSA GONÇALVES MARTINS - EPCAR (Membro)
Interno - KAREN LUZ BURGOA ROSSO (Membro)
Presidente - JOSE ALBERTO CASTO NOGALES VERA (Membro)
Externo à Instituição - FELIPE ANDRADE VELOZO - UNIFAL (Suplente)
Interno - ALEXANDRE BAGDONAS HENRIQUE (Suplente)
Notícia cadastrada em: 27/11/2023 08:34
SIGAA | DGTI - Diretoria de Gestão de Tecnologia da Informação - Contatos (abre nova janela): https://ufla.br/contato | © UFLA | appserver1.srv1inst1 23/02/2024 17:14