Notícias

Banca de DEFESA: PAULO VICTOR MAGALHÃES PACHECO

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: PAULO VICTOR MAGALHÃES PACHECO
DATA: 30/09/2022
HORA: 14:00
LOCAL: Defesa remota via Google Meet
TÍTULO:

ROLE OF VOLATILE ORGANIC COMPOUNDS EMITTED BY NEMATOPHAGOUS FUNGI IN THE INTERACTION WITH Meloidogyne spp.


PALAVRAS-CHAVES:

Compostos orgânico voláteis. Fungos nematófagos. Interação trófica. Nematoides parasita de plantas.


PÁGINAS: 86
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Agronomia
SUBÁREA: Fitossanidade
ESPECIALIDADE: Fitopatologia
RESUMO:

O potencial dos fungos nematófagos como agentes de controle biológico dos nematoides parasitas de plantas (NPPs) foi amplamente estudado. No entanto, há poucas informações sobre o papel dos compostos orgânicos voláteis (COVs) produzidos por fungos nematófagos na interação com os NPPs. Sendo assim, esse trabalho teve como objetivo avaliar o efeito dos COVs emitidos por fungos nematófagos na interação trófica com as diferentes fases do ciclo de vida (ovos, juvenis e fêmeas) de Meloidogyne sp. (nematoide de galhas). No primeiro artigo, foi desvendado pela primeira vez o papel dos COVs emitidos pelo fungo nematófago Pochonia chlamydosporia (Pc-10) na interação trófica com M. incognita. Os COVs emitidos por P. chlamydosporia reduziram a eclosão de ovos de M. incognita e também atraíram os juvenis de segundo estágio (J2) de M. incognita. O composto 1,4-dimetoxibenzeno é o componente majoritário do volatiloma do isolado Pc-10 de P. chlamydosporia. 1,4-dimetoxibenzeno apresentou atividade nematicida fumigante e não fumigante contra M. incognita, além de atrair os J2 de M. incognita. No segundo artigo, foi demonstrado que os COVs produzidos pelos fungos nematófagos (P. chlamydosporia, Purpureocillium lilacinum, Arthrobotrys conoides e Duddingtonia flagrans) reduziram a eclosão dos J2 de M. javanica. Além disso, os COVs emitidos por P. chlamydosporia, P. lilacinum e A. conoides atraíram os J2 de M. javanica e os COVs de D. flagrans repeliram o nematoide. Foram identificados 22 COVs a partir do valotiloma desses fungos. Os fungos foram separados em três conjuntos diferentes por meio da análise de componentes principais (PCA). Um conjunto englobando P. lilacinum e A. conoides e outros dois conjuntos com D. flagrans e P. chlamydosporia, respectivamente. No ensaio em casa de vegetação, os COVs emitidos por P. lilacinum e o composto 1,4-dimetoxibenzeno controlaram M. javanica e não foram tóxicos para as plantas de jiló.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - VICENTE PAULO CAMPOS - UFLA (Membro)
Externo à Instituição - SONIA MARIA DE LIMA SALGADO - EPAMIG (Membro)
Externo à Instituição - REGINA CÁSSIA FERREIRA RIBEIRO - UNIMONTES (Membro)
Externo à Instituição - RAUL RODRIGUES COUTINHO - ND (Suplente)
Externo à Instituição - LEANDRO GRASSI DE FREITAS - UFV (Membro)
Externo ao Programa - FILIPPE ELIAS DE FREITAS SOARES - DQI/ICN (Suplente)
Externo à Instituição - EDUARDO SOUZA FREIRE - UNIMONTES (Membro)
Notícia cadastrada em: 19/09/2022 09:53
SIGAA | DGTI - Diretoria de Gestão de Tecnologia da Informação - Contatos (abre nova janela): https://ufla.br/contato | © UFLA | appserver1.srv1inst1 14/07/2024 23:33