Notícias

Banca de DEFESA: TAMIRES APARECIDA DUARTE DE SOUZA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: TAMIRES APARECIDA DUARTE DE SOUZA
DATA: 18/01/2023
HORA: 14:00
LOCAL: Defesa remota via Google Meet
TÍTULO:

FERMENTAÇÃO LÍQUIDA SUBMERSA DE Simplicillium lanosoniveum


PALAVRAS-CHAVES:

Fermentação; produção; multiação; controle biológico de doenças; mercado.


PÁGINAS: 68
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Agronomia
RESUMO:

Simplicillium lanosoniveum é um microrganismo considerado de multiação, com efeito parasítico em ferrugens, atividade antibacteriana, antifúngica, antivirais, além do controle de doenças de plantas. Para que haja viabilidade de produção é essencial obter um elevado número de propágulos. A busca por meios de cultura alternativos na fermentação líquida, bem como métodos de produção, é uma necessidade para viabilizar o seu uso em larga escala. Dessa forma, o presente trabalho teve como objetivo otimizar o processo produtivo de propágulos Simplicillium lanosoniveum através da composição nutricional na fermentação líquida submersa e validar o potencial dos propágulos produzidos no controle do vetor de fitoviroses Bemisia tabaci. Para avaliar o efeito da relação C:N e o tempo ideal da fermentação em função do tempo na produção de propágulos de Simplicillium foi utilizado o meio basal proposto por (JACKSON et al., 1997), com diferentes proporções C:N (50:1; 30:1 e 10:1), glicose mono-hidratada e o extrato de levedura como respectivas fontes, os quais foram avaliados (48; 72; 96 horas após inoculação). A inoculação foi realizada de pré-cultura na concentração de 1x107 c.mL-1 no meio, com pH inicial ajustado para 6.0. Para avaliar a influência da aeração o isolado foi ajustado na concentração de 5 x 107 c.mL-1, em volumes finais diferentes (100 mL e 60 ml) e a partir desta etapa durante todo o experimento toda a produção foram avaliadas no 3º dia e contabilizados a produção de conídios submersos, microescleródios, (UFC) e biomassa. Diferentes fontes de nitrogênio foram avaliadas (extrato de levedura; o farelo de algodão; farelo de milho; levedura autolizada; Hy-Yest 101®; Hy-Yest 412®; Star-yest; Brewer’s Exl e levedura hidrolisada) e glicose mono-hidratada como principal fonte de carbono. Após seleção das fontes, foram avaliados o efeito das fontes de carbono (glicose mono-hidratada; maltodextrina; melaço de cana; sorbitol; maltose e sacarose). O efeito do pH inicial e densidade de pré-cultura foram avaliados, para o pH inicial foram ajustados para 3.5; 6.0; 8.5, com pré-cultura ajustada para 5 x 107 c.mL-1. Para densidade de pré-cultura o pH foi ajustado para 6.0 seguidos da adição da suspensão nas concentrações iniciais de 1x104; 1x105; 1x106 e contabilizados. O isolado de Simplicillium lanosoniveum foi submetido a analises de solubilização de fosfato e degradação de quitina via meio solido e avaliado a formação de halo na presença das atividades avaliadas. Após a seleção dos melhores meios foi avaliado a cinética de crescimento dos propágulos produzidos e medição do pH durante 6 dias.  A eficiência dos propágulos de Simplicillium lanosoniveum produzidos em fermentação foram testadas no controle de ninfas 2º instar de mosca branca, criada em feijão (Phaseolus vulgaris, cv. Pérola). As folhas provenientes da infestação foram excisadas e colocadas com a superfície abaxial para cima em 15 mL de ágar água (2% p/v), onde 20 ninfas foram avaliadas no período de oito dias, com duas avaliações no tempo (3º e 8º dia) após inoculação das suspensões (H2O+solução salina; H20+ tween 80; morte natural; esporos direto de placa 1x107; conídios da fermentação 1x107). Para cada tratamento foram aplicadas uma alíquota de 1 mL de cada suspensão na superfície da folha. Após processos fermentativos a proporção 50:1, brewer’s exl + glicose foram indicadas para produção de conídios submersos 2.37 x 109 c.mL-1 e protenose + maltodextrina para produção de microesclerodios 1.64 x 104 m.mL-1, o pH 8,5 favoreceu a formação de microescleródios. Não houve solubilização de fosfato pelo isolado e na detecção de degradação de quitina foi formado um halo de 40.43 mm. A aeração e a densidade de pré-cultura não apresentaram resultados significativos no teste de Tukey a 5%. Para controle de ninfas 2º instar de mosca branca houve o índice de mortalidade médio de 65%, tanto para conídios provenientes direto de placa, quanto para conídios submersos provenientes da fermentação liquida.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - GILENO VIEIRA LACERDA JUNIOR - EMBRAPA (Membro)
Externo à Instituição - LUIZ HENRIQUE COSTA MOTA - IFMT (Suplente)
Interno - FLAVIO HENRIQUE VASCONCELOS DE MEDEIROS (Membro)
Interno - JORGE TEODORO DE SOUZA (Suplente)
Presidente - WAGNER BETTIOL - USP (Membro)
Notícia cadastrada em: 16/01/2023 11:26
SIGAA | DGTI - Diretoria de Gestão de Tecnologia da Informação - Contatos (abre nova janela): https://ufla.br/contato | © UFLA | appserver2.srv2inst1 03/12/2023 08:18