Notícias

Banca de DEFESA: SANDRA CARVALHO ISMAEL MUSSA BARROS

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: SANDRA CARVALHO ISMAEL MUSSA BARROS
DATA: 20/02/2023
HORA: 08:00
LOCAL: SALA DE REUNIÃO DO GOOGLE MEET
TÍTULO:

LEVANTAMENTO E CARACTERIZAÇÃO MOLECULAR DO Banana bunchy top virus (BBTV) NO DISTRITO DE CHOKWÉ, NA REGIÃO SUL DE MOÇAMBIQUE


PALAVRAS-CHAVES:

Incidência, topo em leque da bananeira, PCR, PIO, SEA, SAA, Musa
spp, PCR, Filogenia


PÁGINAS: 101
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Agronomia
SUBÁREA: Fitossanidade
ESPECIALIDADE: Fitopatologia
RESUMO:

A doença do topo em leque da bananeira é a doença viral mais devastadora das bananas em todo o mundo e é causada pelo Banana bunchy top virus (BBTV). Esse vírus já foi encontrado em 36 países ao redor do mundo e no momento se encontra ausente na América Central e América do Sul. Com base na sequência do DNA-R  os isolados de BBTV que ocorrem ao redor do mundo foram classificados em dois grupos: o grupo do Oceano Pacífico Índico (PIO) e o do Sudoeste Asiático (SEA). Esses dados auxiliam a inferir sobre a origem geográfica dos isolados, embasando medidas preventivas de controle. Em 2016, o vírus foi detectado pela primeira vez no perímetro irrigado do distrito Chókwè, localizado na primeira zona na região sul de Moçambique, mas não
existe nenhum estudo para determinar a sua incidência e as suas características genéticas. O objetivo deste estudo foi realizar inicialmente um levantamento para determinar a incidência e distribuição dos isolados e determinar as suas caracteristicas genômicas. Uma amostragem foi feita nessa região afetada, coletando-se 175 amostras de plantas com suspeita de infecção em 23 campos de 11 fazendas  comerciais e de famílias rurais nos quatro postos administrativos do distrito. Os resultados do levantamento indicaram que o vírus estava presente em 19 das 23 fazendas amostradas. A porcentagem média de incidência foi de 54,3% com uma porcentagem mínima de 20% na fazenda 9 e um máximo de 100% na fazenda 2. Na fazenda 6 não foram encontradas amostras infectadas.As sequencias de nucleotídeos do DNA-S dos isolados analisados se mostraram bastante conservadas, variando de 97% a 100%. O mesmo foi observado para as sequências do DNA-R que apresentaram a grande maioria das identidades variando entre 98% e 100% entre os isolados de Chókwè, e acima de 90% quando comparadas com os isolados do GenBank. A análise filogenética mostrou que
esses isolados se comportaram como isolados PIO, apresentando maior proximidade com o isolado JQ820453 do Malawi em relação aos isolados dos países subsaarianos, que se agruparam num subclado distinto. Esse é o primeiro relato de estudos realizados a respeito da incidência e caractristicas moleculares dos isola dos de Banana bunchy top virus em Moçambique e alerta para a necessidade de se tomar medidas urgentes para o
controle do BBTV neste país.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - THAIS OLIVEIRA RAMALHO - UFU (Membro)
Externo à Instituição - SILVINO INTRA MOREIRA - UFLA (Suplente)
Interno - RICARDO MAGELA DE SOUZA (Membro)
Interno - EDUARDO ALVES (Membro)
Interno - CLAUDINE MARCIA CARVALHO (Membro)
Externo à Instituição - CAROLINA DA SILVA SIQUEIRA - UFLA (Suplente)
Presidente - ANTONIA DOS REIS FIGUEIRA (Membro)
Notícia cadastrada em: 16/02/2023 10:50
SIGAA | DGTI - Diretoria de Gestão de Tecnologia da Informação - Contatos (abre nova janela): https://ufla.br/contato | © UFLA | appserver1.srv1inst1 19/07/2024 23:49