Notícias

Banca de DEFESA: JESSICA REMBINSKI

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JESSICA REMBINSKI
DATA: 30/08/2023
HORA: 08:00
LOCAL: sala de reuniões do google meet
TÍTULO:

ANTAGONIAL POTENTIAL OF NEW SPECIES OF THE GENERA Trichoderma AND Epicoccum AGAINST PATHOGENS PRODUCING RESISTANCE STRUCTURES


PALAVRAS-CHAVES:

Sclerotiniaceae, controle biologico, Taxonomia, Trichoderma, Epicoccum.


PÁGINAS: 75
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Agronomia
SUBÁREA: Fitossanidade
ESPECIALIDADE: Fitopatologia
RESUMO:
Fungos micoparasitas são amplamente estudados devido a sua capacidade de degradar estruturas de resistência de patógenos causadores de doenças em plantas cultivadas. Essas estruturas são denominadas escleródios e permitem a sobrevivência dos patógenos por longos períodos de tempo no solo e em restos vegetais. Os escleródios são produzidos por diversos fungos, como Sclerotinia sclerotiorum e Stromatinia cepivora (família Sclerotiniaceae), causadores das doenças mofo branco da soja e podridão branca em Allium spp., respectivamente. Os fungos dos gêneros Trichoderma e Epicoccum apresentam potencial para o uso no controle biológico de patógenos produtores de escleródios e no manejo sustentável de diversas culturas agrícolas. O objetivo deste estudo foi descrever novas espécies de fungos com potencial de biocontrole contra patógenos produtores de estruturas de resistência. Na primeira parte do estudo, foi realizada uma revisão da literatura explorando informações sobre o uso de Trichoderma para o manejo de patógenos produtores de escleródios no Brasil. Foram listados 34 produtos comerciais registrados no Brasil para o manejo de fungos produtores de escleródios. Os mecanismos de ação de Trichoderma empregados contra esses patógenos, que envolvem principalmente o micoparasitismo, e o número de espécies de Trichoderma utilizadas como ingredientes ativos nesses produtos comerciais, bem como outras espécies com potencial descritas e não descritas na literatura foram discutidos. Na segunda parte deste estudo, foram descritas duas novas espécies dos gêneros Trichoderma (artigo 1) e uma de Epicoccum (artigo 2) como resultados das análises morfológicas, fisiológicas e filogenéticas realizadas. As espécies de Trichoderma foram nomeadas T. variabilis sp. nov. e T. serrapilhericola sp. nov., e foi realizado o emendamento da descrição da espécie T. nordicum com caracteristicas observadas neste trabalho. A espécie de Epicoccum foi descrita como E. sclerotivorum sp. nov. As espécies descritas foram testadas in vitro contra os patógenos S. sclerotiorum e S. cepivora, onde mostraram porcentagens de colonização dos escleródios variando de 20 a 100% para os isolados de Trichoderma; e 44% a 97% de colonização para o isolado de Epicoccum. Estas novas espécies representam adições à lista de agentes de controle biológico de patógenos produtores de estruturas de resistência.

MEMBROS DA BANCA:
Interno - VALTER CRUZ MAGALHÃES - UFLA (Membro)
Interno - RAFAELA ARAÚJO GUIMARÃES - UFLA (Suplente)
Externo à Instituição - PHELLIPPE ARTHUR SANTOS MARBACH - UFRB (Membro)
Externo ao Programa - LUIS ROBERTO BATISTA - DCA/ESAL (Membro)
Externo à Instituição - LEANDRO LOPES LOGUERCIO - UESC-BA (Suplente)
Presidente - JORGE TEODORO DE SOUZA (Membro)
Externo à Instituição - CARLOS ANTONIO INACIO - UFRRJ (Membro)
Notícia cadastrada em: 17/08/2023 11:16
SIGAA | DGTI - Diretoria de Gestão de Tecnologia da Informação - Contatos (abre nova janela): https://ufla.br/contato | © UFLA | appserver2.srv2inst1 14/07/2024 22:37