Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: GUILHERME OTÁVIO MORAES CHAVES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GUILHERME OTÁVIO MORAES CHAVES
DATA: 24/02/2023
HORA: 09:00
LOCAL: DZO 040
TÍTULO:

UTILIZAÇÃO DE FÊMEAS SUÍNAS COMO MÃES DE LEITE: DESEMPENHO PRODUTIVO

E IMPACTO ECONÔMICO EM CONDIÇÕES COMERCIAIS BRASILEIRAS


PALAVRAS-CHAVES:

leitões,maternidade, matrizes, suinocultura


PÁGINAS: 18
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Zootecnia
SUBÁREA: Produção Animal
ESPECIALIDADE: Manejo de Animais
RESUMO:

A utilização de fêmeas como mães de leite (MDL) tem sido a solução encontrada para aumentar o número de desmamados fêmea/ano em granjas que utilizam matrizes de alta produção. O manejo de MDL consiste em utilizar matrizes suínas recém desmamadas para aleitar os leitões excedentes das demais porcas, permitindo que sejam desmamadas duas leitegadas por fêmea na mesma lactação (Bruun et al., 2016).

Na suinocultura brasileira ainda há resistência quanto a esta prática, uma vez que se acredita que este manejo pode gerar consequências negativas associadas às fêmeas, como excessiva perda de peso, aumento no intervalo desmame estro, baixa taxa de ovulação e redução no número de leitões nascidos totais e vivos no parto subsequente. Entretanto, alguns estudos têm mostrado consequências positivas além do aumento do número de leitões desmamados, como maior número de leitões nascidos totais nos partos subsequentes em fêmeas de diferentes ordens de partos (Bruun et al., 2016) e nascidos vivos (Bierhals et al., 2018), sem prejuízos na taxa de parto e no intervalo desmame estro.

ESte trabalho tem como objetivo: 

Avaliar os efeitos da utilização de matrizes suínas hiper prolíficas submetidas ao manejo de mães de leite em diferentes ordens de parto sobre os índices zootécnicos e econômicos em condições comerciais brasileiras..

Será realizado um estudo retrospectivo através da análise de dados de três anos (2019- 2021) de uma granja comerciais pertencente a DanBred Brasil localizadas na mesorregião do Alto Paranaíba de Minas Gerais-Brasil. Os critérios de seleção das granjas neste estudo serão: (1) registros precisos de partos e índices reprodutivos mantidos em banco de dados eletrônico (Agriness S4); (2) tipo de alojamento das fêmeas, gaiolas individuais ou gestação coletiva; (3) climatização dos galpões de gestação e maternidade; (4) tipos de manejo realizados na utilização de leitoas e matrizes como MDL.

Um total de 856 matrizes suínas hiperprolíficas (Linhagens comerciais de avós Large White (DB 20) e Landrace (DB 30) – DanBred Brasil, Patos de Minas, MG, Brasil) serão avaliados durante três ordens de parto [OP] consecutivas. Para tal, avaliará matrizes que foram utilizadas com MDL durante a OP 1 [MDL OP1], matrizes que foram MDL durante a OP 2 [MDL OP2] e matrizes que não foram utilizadas com MDL em nenhum ciclo de produção, na categoria de grupo Controle.

Fêmeas MDL que apresentarem baixo número de nascidos vivos, transferências de leitões durante uma ou duas fases de aleitamento, más condições de saúde, alto gasto com medicações que possam interferir nos resultados, ausência de registro de qualquer natureza e dados considerados pelo Software estatístico R como outliers será excluída na análise, conforme metodologia realizada por Brunn et al. (2016). Matrizes que apresentaram desmame nulo, caracterizado por desmame forçado por motivo físico ou sanitário, serão descartadas da avaliação de acordo com o preconizado por Bierhals et al. (2018). Serão consideradas matrizes que apresentaram mais de 21 dias de lactação na primeira lactação e mais de 15 dias durante a lactação como MDL.

Os dados do número de nascidos totais e nascidos vivos, serão coletados individualmente de cada matriz (unidade experimental). Os dias de lactação total serão calculados através da soma dos dias de lactação de cada parto e considerando o período de lactação como MDL. O peso dos desmamados serão calculados a partir da média do peso dos leitões desmamados por parto, considerando o peso dos leitões desmamados como MDL. O Parto/Fêmea/Ano (PFA) foi calculado dividindo 365,25 dias do ano pelo somatório do Intervalo/Desmame/Cio (IDC), dias de gestação e dias de lactação total. O Desmamado/Fêmea/Ano (DFA) será calculado a partir da multiplicação entre PFA e número de animais desmamados.

Serão avaliados os seguintes dados das fêmeas antes da submissão ao manejo de MDL: número de leitões nascidos totais, número e porcentagem de nascidos vivos, natimortos, mumificados; número de leitões uniformizados, leitões desmamados intervalo desmame estro e taxa de parto. Após a submissão ao manejo de MDL serão coletados o número de leitões adotados e de desmamados.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - SORAIA VIANA FERREIRA - UFMG (Membro)
Presidente - RONY ANTONIO FERREIRA (Membro)
Interno - ROBERTO MACIEL DE OLIVEIRA (Suplente)
Externo à Instituição - LEONARDO DA SILVA FONSECA - UFVJM (Membro)
Externo à Instituição - ALYSSON SARAIVA - UFV (Suplente)
Notícia cadastrada em: 09/02/2023 19:16
SIGAA | DGTI - Diretoria de Gestão de Tecnologia da Informação - Contatos (abre nova janela): https://ufla.br/contato | © UFLA | appserver2.srv2inst1 30/05/2024 04:00