Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: ANA CARLA MARTINS VIDOTTI

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANA CARLA MARTINS VIDOTTI
DATA: 28/04/2023
HORA: 10:30
LOCAL: Banca Virtual
TÍTULO:

Entendendo a sustentabilidade de pastagens de capim Marandu por meio da revisão de artigos científicos sobre avaliação nutricional das plantas


PALAVRAS-CHAVES:

Brachiaria, Nitrogênio, Manejo do pastejo, Proteína Bruta, FDN, Adubação


PÁGINAS: 13
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Zootecnia
SUBÁREA: Pastagem e Forragicultura
ESPECIALIDADE: Manejo e Conservação de Pastagens
RESUMO:

No Brasil, no ano de 2020 a área de pastagens atingiu a ordem de 154,7 milhões de hectares, com as regiões da Amazônia e do Cerrado representando os maiores biomas em extensão de área cultivada, com 54,5 e 48,2 milhões de hectares, respectivamente (MAPBIOMAS, 2021). Desse total de área cultivada, estima-se que a gramínea da espécie Brachiaria brizantha (Hochst. ex A. Rich.) Stapf. cultivar Marandu lidere a ocupação do espaço territorial em mais de 50 milhões de hectares, considerando o volume total de sementes comercializadas no Brasil em 2019 em 33% do volume total de sementes, mais de 19 mil toneladas (CARVALHO et al., 2021).

Na produção animal em pastagens, existem vários estudos a respeito das formas de fornecimento de forragem, disposição das plantas e controle da estrutura do dossel da B. brizantha cv. Marandu, e os resultados correspondem, principalmente, ao crescimento da planta, seu consumo e a produção animal (da SILVA, 2004). Um dos maiores desafios desse sistema produtivo, encontra-se, sobretudo, no uso de conhecimento e tecnologias para o aumento na produtividade da pastagem, assim como de maneira sustentável.Esses dados confirmam a importância das pastagens no cenário agrícola brasileiro e que sua manutenção e aumento de produtividade dependerão, principalmente, do emprego de tecnologias para otimização de seu uso (ANDRADE et al., 2014).

O nitrogênio (N) é um dos principais elementos que afetam a produção e o desenvolvimento de plantas forrageiras. É constituinte de vários compostos nas plantas forrageiras como aminoácidos, ATP, ADP, NAD, NADP, ácidos nucléicos, clorofila, entre outras moléculas, participando de inúmeras reações bioquímicas, o que o torna o N indispensável para otimizar índices de produtividade de pastagens (MARTINS et al., 2022).

O tipo de adubação, forma, quantidade e época de aplicação, podem ter consequências significativas em perdas de nitrogênio, devido à volatilização da amônia (NH3), principalmente, atravancando a produtividade das pastagens (CORRÊA et al., 2021). Além disso, saber como a adubação nitrogenada afeta as características morfológicas das plantas forrageiras em pastagens degradadas é essencial para otimizar o manejo racional dos diferentes sistemas produtivos, já que irá refletir no comportamento ingestivo do animal e consequentemente em seu desempenho (SILVA, 2013).

As pesquisas estão cada vez mais desenvolvidas no quesito influência da adubação nitrogenada em pastagem, muitos trabalhos mostram bons resultados referente à resposta das plantas forrageiras à adubação com esse nutriente e os benefícios desse mineral com ferramenta tecnológica (GARCEZ NETO et al., 2002; SILVEIRA; MONTEIRO, 2007; MARANHÃO et al., 2010; CASTAGNARA et al., 2011).Em consideração a esses fatores, torna-se indispensável o aporte de fontes externas de nutrientes que possam suprir as exigências limitantes para o desenvolvimento da planta e que garantam o desempenho animal ao longo do ano e que traga sustentabilidade ao sistema (HOFFMAN et al., 2014).

O dilema em questão é como intensificar a produção pecuária por meio da otimização do manejo aliado às estratégias de produção de maneira sustentável, uma vez que há uma diversidade de estudos acerca do tema e que dificultam o entendimento dos produtores rurais em como saber qual ou quais estratégias são mais adequadas àquela realidade na qual estão inseridos.

Objetiva-se com o projeto definir as melhores estratégias de uso consciente e coerente de nitrogênio em pastagens, por meio do estudo das respostas produtivas do capim Marandu levantados em periódicos científicos e estruturar informações sobre faixas de respostas agronômicas e nutricionais que possam ser posteriormente repassadas aos produtores rurais de forma mais inteligível.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - SERGIO DOMINGOS SIMAO - UFLA (Suplente)
Presidente - MARCIO ANDRE STEFANELLI LARA - UFLA (Membro)
Externo à Instituição - DANIEL DA CUNHA - REHAGRO (Membro)
Interno - CARLA LUIZA DA SILVA AVILA (Membro)
Notícia cadastrada em: 11/04/2023 10:18
SIGAA | DGTI - Diretoria de Gestão de Tecnologia da Informação - Contatos (abre nova janela): https://ufla.br/contato | © UFLA | appserver1.srv1inst1 30/05/2024 01:14