Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: ANA CAROLINY MARTINS FONSECA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANA CAROLINY MARTINS FONSECA
DATA: 28/10/2020
HORA: 15:00
LOCAL: https://meet.google.com/uoy-gesv-kgr
TÍTULO:

USO DE ESTRATÉGIAS VARIADAS PARA PROMOÇÃO DA ALFABETIZAÇÃO CIENTÍFICA E DO DESENVOLVIMENTO COGNITIVO MANIFESTADO NAS RESPOSTAS DOS ALUNOS DO PRIMEIRO ANO DO ENSINO MÉDIO ATRAVÉS DE UMA SEQUÊNCIA DE AULAS INTITULADA “INSUMOS AGRÍCOLAS E MEIO AMBIENTE”


PALAVRAS-CHAVES:

Ensino de química. Educação ambiental. Júri químico. Experimentação. Estudo de caso.


PÁGINAS: 105
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Multidisciplinar
RESUMO:

A Química é uma das disciplinas presentes no currículo básico escolar que, em diversas ocasiões, é considerada de difícil compreensão pelos estudantes. Nesse sentido, diferentes estratégias de ensino têm sido pensadas e desenvolvidas com o objetivo de superação das dificuldades e pré- concepções relacionadas à Química, e também de modo a promover uma maior participação do aluno na construção do conhecimento. Dessa forma, o presente estudo possui o objetivo de investigar se uma Sequência de Aulas (SA) sobre insumos agrícolas e meio ambiente contemplando as estratégias estudo de caso, roda de conversa, experimentação investigativa e júri químico podem contribuir para a promoção da Alfabetização Científica (AC) e manifestação de habilidades cognitivas das respostas dos alunos do primeiro ano do Ensino Médio. Essa SA foi composta por 13 aulas, nas quais foram abordados os conceitos químicos envolvidos no entendimento de solubilidade. Os dados foram coletados ao longo da ministração da SA e a análise foi dividida em duas etapas. Na primeira etapa foi realizada uma análise geral da SA através da investigação das habilidades cognitivas manifestadas pelos alunos, observadas pelos níveis cognitivos e análise de conteúdo das perguntas e respostas dos questionários prévio e pós. Já na segunda etapa será realizado um estudo mais detalhado com os 12 alunos que participaram com falas durante o júri químico. Para isso serão analisados os níveis cognitivos e os níveis de AC dos alunos na aula do estudo de caso, nas aulas experimentais, na roda de conversa e do júri químico. A partir das análises feitas na primeira etapa pode-se concluir no primeiro momento que as atividades realizadas em sala de aula auxiliaram os alunos a manifestarem diferentes habilidades cognitivas, pois muitos passaram do nível N1 para N2, do N2 para N3 e teve ainda, quem passou do N3 para N4. Isso mostra uma evolução, porém, foram poucos alunos que tiveram suas respostas classificadas, principalmente no questionário pós, no nível N4. Espera-se ampliar e aprofundar as análises e discussões de maneira a trazer contribuições para a área de ensino de química e a atuação docente em sala de aula. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - JOSEFINA APARECIDA DE SOUZA (Membro)
Interno - RITA DE CASSIA SUART (Membro)
Interno - PAULO RICARDO DA SILVA (Suplente)
Externo ao Programa - RENATA REIS PEREIRA - DQI/ICN (Membro)
Notícia cadastrada em: 15/10/2020 11:41
SIGAA | DGTI - Diretoria de Gestão de Tecnologia da Informação - Contatos (abre nova janela): https://ufla.br/contato | © UFLA | appserver3.ufla.br.srv3inst1 08/12/2021 16:41