Notícias

Defesa de Dissertação do Mestrado Profissional do PPGECEM/UFLA - Ana Caroliny Martins Fonseca - em 24/02/2022

Mestranda:

Ana Caroliny Martins Fonseca

 

Título:

PROMOÇÃO DA ALFABETIZAÇÃO CIENTÍFICA E DESENVOLVIMENTO DE HABILIDADES COGNITIVAS DE ALUNOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA AO LONGO DA ABORDAGEM DO TEMA INSUMOS AGRÍCOLAS E MEIO AMBIENTE 

 

Banca Examinadora:

Profa. Dra. Josefina Aparecida de Souza – UFLA

Profa. Dra. Rita de Cassia Suart – UFLA

Prof. Dr. Gildo Girotto Junior – UNICAMP

 

Data: 24/02/2022

Horário: 14h

 

Local:

https://meet.google.com/byh-ynrs-rvj?authuser=0

 

RESUMO: A Química é uma das disciplinas presentes no currículo básico escolar que, em diversas ocasiões, é considerada de difícil compreensão pelos estudantes. Nesse sentido, diferentes estratégias de ensino têm sido pensadas e desenvolvidas com o objetivo de superação das dificuldades e pré- concepções relacionadas à Química, e também de modo a promover uma maior participação do aluno na construção do conhecimento. Dessa forma, o presente estudo teve como objetivo investigar se uma Sequência de Aulas (SA) sobre insumos agrícolas e meio ambiente contemplando as estratégias estudo de caso, experimentação e júri químico pode contribuir para a promoção da Alfabetização Científica (AC) e manifestação de habilidades cognitivas dos alunos do primeiro ano do Ensino Médio. Essa SA foi composta por 13 aulas, nas quais foram abordados os conceitos químicos correlacionados no entendimento de solubilidade. Para a análise dos dados obtidos foram transcritos alguns trechos das aulas para a realização de reflexões sobre a SA; analisado a narrativa do caso, verificando se o mesmo é ou não um bom caso; categorizado as perguntas e respostas dos alunos fornecidas aos questionários prévio e pós, e das atividades desenvolvidas durantes os experimentos 1, 2 e 3 quanto ao nível cognitivo e ao nível de alfabetização científica. Baseado nos dados analisados pode-se concluir que as estratégias desenvolvidas ao logo da SA auxiliaram os alunos a manifestarem diferentes habilidades cognitivas, pois muitos passaram do nível N1 para N2, do N2 para N3 e teve ainda, quem passou do N3 para N4. Observou-se também que a maioria das respostas dos alunos foram classificadas como sendo de alfabetização científica nominal e funcional, uma vez que as atividades experimentais nem sempre apresentaram características investigavas, contribuindo para esse resultado. Isso mostra uma evolução, porém, foram poucos alunos que tiveram suas respostas classificadas, principalmente no questionário pós, no nível N4. Percebe-se também, que o nível cognitivo N1 tem relações com não alfabetizado cientificamente e com alfabetização científica nominal; que o nível cognitivo N2 tem relações com alfabetização científica nominal e que o nível cognitivo N3 tem relações com a alfabetização científica funcional. Além disso, notou-se que o estudo de caso, foi uma estratégia que estimulou os alunos a participarem da SA, e que levou os alunos a realizarem reflexões, auxiliando-os nas aulas experimentais a fazerem generalizações, podendo assim construírem seus argumentos, que foram apresentados na aula do júri químico. Espera-se que esse trabalho possa trazer contribuições para a área de ensino de química e a atuação docente em sala de aula.

 

Palavras-Chave: Ensino de química. Educação ambiental. Júri químico. Experimentação. Estudo de caso.

Notícia cadastrada em: 26/01/2022 18:14
SIGAA | DGTI - Diretoria de Gestão de Tecnologia da Informação - Contatos (abre nova janela): https://ufla.br/contato | © UFLA | appserver1.srv1inst1 21/02/2024 21:14